parede decorada objetos afetivos

Diálogo na parede

Um dia, tomando café na mesa que ficava de frente a uma parede onde eu pendurava objetos afetivos, fiquei imaginando como seria o diálogo entre eles, entre Frida Kahlo, Belchior, Beatles e outros personagens ali contidos. Fiquei com essa ideia na cabeça e fui colocá-la no papel.

Here Comes The Sun…cantarolava George para a cabeleira da Frida todo final de tarde, quando a luz quente do sol refletia na parede. O som ressoava distante para Clementine e Joel, congelados no lago, no tempo e na mente sem lembranças.

A Jardineira do sertão pernambucano não se incomodava por estar próxima do inverno de Montauk. Ela estilou com a dança de objetos, mas não gostava mesmo era da presença daquele bando de ursos esquisitos.

Mais influentes que os Beatles?
Eins, zwei, drei, vier, funf…
Que diabo é isso?(…)

— Ei, não se preocupe, Jardineira!, gritou John da janela do Hilton Amsterdam, deitado na cama pela paz.

— Nós somos mais populares que Jesus, provocou.

Bang, bang, shout, shout. O protesto fracassou. Morreram o sonho e o sonhador.

O rapaz latino americano suplicou para não sacarem a arma no saloon. De nada adiantou.

— É João, o tempo andou mexendo com a gente sim. Não era você que dizia que a felicidade é uma arma quente?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *